COMDES em Ação

Agosto de 2018

Sistema de transporte público coletivo metropolitano depende da Alesc

O projeto de lei do Governo do Estado que viabilizará o transporte integrado na área continental da região metropolitana da Grande Florianópolis está na Alesc para avaliação dos deputados. O texto autoriza que a Superintendência de Desenvolvimento da Grande Florianópolis (Suderf) licite o sistema metropolitano de ônibus que facilitará os deslocamentos das pessoas na região. O projeto de lei também cita que o planejamento, a operação e a fiscalização do sistema de transporte ocorrerá de forma associada com os municípios.
 
A integração do transporte coletivo da Grande Florianópolis foi tema de manifestação pública do Conselho Metropolitano para o Desenvolvimento da Grande Florianópolis (Comdes) em julho, quando encaminhou ao Governador uma correspondência solicitando celeridade no processo.
 
“É muito importante que o projeto de Lei, que tramita agora na Alesc, seja aprovado em regime de urgência/urgentíssima para que os usuários da Grande Florianópolis tenham um transporte público coletivo integrado de qualidade. O COMDES entende que com a concretização do projeto além de reduzir o tráfego de veículos leves, tornará a mobilidade urbana mais ágil”, afirmou o coordenador-geral do conselho, Ernesto Caponi.
 
Diariamente cerca de 150 mil pessoas utilizam o sistema de transporte público na região, caracterizado por deficiências na conectividade dos municípios, além de sobreposição de linhas de ônibus, altas tarifas e poucos serviços.
 
“Após negociações no âmbito da governança metropolitana, foi alcançado o consenso entre o Estado e as oito prefeituras envolvidas para o encaminhamento do projeto de integração metropolitana. Esse novo sistema de ônibus trará enormes benefícios à população, como integração física e tarifária (dentro e fora dos terminais) no território dos oito municípios envolvidos, um único cartão de transporte e um só sistema de informações ao usuário”, destacou o superintendente da Grande Florianópolis Cassio Taniguchi.
 
A viabilização do projeto depende, agora, dos trâmites da Alesc: avaliação das comissões de Constituição e Justiça, de Finanças e Tributação e de Transportes e Desenvolvimento Urbano para votação em plenário. Está disponível em http://www.alesc.sc.gov.br/legislativo/tramitacao-de-materia/PLC/0023.3/2018.